HISTEROSCOPIA NA MENOPAUSA
Na fase da menopausa o câncer do endométrio é um dos maiores receios da mulher.
A indicação para a realização de uma histeroscopia é feita principalmente após um exame de ultrassonografia pélvica/transvaginal que identifica espessamentos atípicos no interior do útero ou quando as pacientes apresentarem episódios de sangramento irregular.

HISTEROSCOPIA DIAGNÓSTICA NA MENOPAUSA
O procedimento para diagnóstico é realizada no consultório e, sempre que preciso, com anestesia local para minimizar possíveis sintomas dolorosos.
Devido a atrofia uterina e consequente estreitamento do trajeto interno do útero utiliza-se os conjuntos histeroscópios mais finos e menos traumáticos.
Quando encontradas alterações de aspecto atípico, são realizadas, com o mesmo cuidado, biópsias dirigidas dos focos da lesão.

timthumbHISTEROSCOPIA CIRÚRGICA NA MENOPAUSA
Na menopausa, dentre as alterações intra-uterinas, os pólipos endometriais são os principais achados. Estes são, em sua maioria benignos, mas uma pequena porcentagem pode coexistir com câncer de endométrio. Esta é a principal razão para indicarmos a sua retirada e posterior envio para estudo histopatológico. Histeroscopia cirúrgica é o melhor método para realizarmos este procedimento sendo feita em centro cirúrgico, com máxima segurança e sem dor, (sob anestesia geral venosa). Os aparelhos também são mais delgados para evitar maiores traumas aos tecidos durante sua execução.